Skip to content

O PPV e a Masturbação

15/03/2009

O movimento Portugal  Pro Vida (PPV) dedica-se a organizar “Veladas pela Vida” à porta de hospitais e clínicas onde se fazem IVG’s, sintoma de que Portugal é finalmente um país civilizado, onde há IVG’s nos locais próprios e pessoal que acende velinhas cá fora. Fiquem-se pelas velas, e estamos bem.

Mas como isto da vida tem muito que se lhe diga, anda agora o PPV numa cruzada contra a educação sexual nas escolas, ou melhor: a educação sexual curricular, que a informal sempre existiu em todo o tipo de estabelecimentos de ensino, a começar nos seminários e colégios de freiras, embora possivelmente alguns dos PPV’s não tenham dado por isso, há sempre malta distraída.

anti-masturbador

Aparelho anti-masturbação masculina, Inglaterra, 1871-1930, Science Museum/Science & Society Picture Library

Escreve Thereza Ameal:

“Vale a pena também ver a página em anexo dum folheto usado numa aula para crianças de 10/11 anos, com incentivo claríssimo à masturbação e já agora, sob a capa anti-discriminação, o incentivo à homossexualidade. Com coisas destas é bem natural que se ponham a fazer experiências com o melhor amigo ou amiga. Muitos pais estarão totalmente de acordo com isto, mas aqueles que acham que não se deve incentivar crianças de 10 e 11 anos a experimentar o orgasmo que a masturbação proporciona (“a sensação de excitação e arrepio nos órgãos genitais que pode fazer com que todo o teu corpo fique relaxado”), não merecem também o respeito pela sua consciência no modo como exercem o seu direito de primeiros educadores dos seus filhos? Não seria pelo menos mais democrático?” (o sublinhado é meu).

Parece-me uma questão pertinente, e algo esquecida nos tempos conturbados que atravessamos. Por um lado sabemos que todo o esperma é sagrado, e preservar a sua guarda para efeitos de procriação é uma missão em que se devem empenhar todos os defensores da vida. Se no caso feminino a excisão clitórica parece resolver o problema, nos jovens machos, embora a circuncisão ajude, não chega.

O aparelho anti-masturbação masculina, cuja produção parece ter sido abandonada há mais de 70 anos, bem podia voltar às linhas de montagem, criando de resto empregos, sempre bem vindos em época de crise. Claro que a tecnologia o pode tornar obsoleto, e um sensor anti-masturbatório colocado nas cuecas do infante, com envio imediato de SMS para os pais do prevaricador, seria sem dúvida mais confortável. O choque tecnológico aplicado à pívea, é uma sugestão que deixo à Srª. Theresa.

Não sabendo escrever orações, deixo aqui o meu contributo para a campanha através de um clássico do audiovisual, e algumas sugestões para refrão de combate:

  • Sexo é amor a 2 não é com 4+1
  • Guarda o espermatozóide menino, ou ainda perdes o tino
  • O orgasmo é do diabo, ainda o tens pelo rabo

etc.

Every Sperm Is Sacred, Monty Python,  Meaning of Life, 1983

Canção e interpretação: Michael Palin and Terry Jones

Coreografia:  Arlene Phillips


Anúncios
One Comment

Trackbacks

  1. PPV, o partido contra o incentivo claríssimo à masturbação | Aventar

Os comentários estão fechados.

%d bloggers like this: